Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O mundo velho

por Luís Naves, em 02.11.18

Por toda a parte vemos a degradação progressiva das estruturas que julgávamos sólidas, do Estado Providência, dos serviços públicos, dos partidos, das grandes corporações e bancos, do trabalho, da família, das igrejas, dos mercados. As corporações perdem influência. As antigas fontes de poder fragmentam-se, por exemplo, o cinema americano, as potências militares, o cartel do petróleo, as grandes burocracias. Os pensadores já não chegam às massas, os políticos dispersam-se na cacofonia do irrelevante, todos falam no aumento dos riscos. Não quer dizer que haja um colapso, mas vivemos num mundo velho e sem fôlego, a abrir fissuras.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 11:09




Links

Locais Familiares

Alguns blogues anteriores

Boas Leituras