Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Faça outra pergunta

por Luís Naves, em 08.05.24

As controvérsias que excitam os meios de comunicação exploram a ignorância do público e procuram interpretar a realidade com dois pesos e duas medidas. Muitas pessoas deixaram de se preocupar com as mensagens, o que as leva a habitar mundos paralelos. Os números são devastadores: os jornais americanos perderam dois terços dos jornalistas desde 2005 (são agora 43 mil); em Portugal, a proporção deve ser bem pior. Nos jornais que restam, a manipulação perdeu subtileza. Acresce a isto a infantilização dos protestos e a ignorância dos ativistas (um grupo que protestava contra a selvajaria israelita em Gaza estava mais incomodado com os combustíveis fósseis do que com os 35 mil mortos). Há muitos exemplos de hipocrisia, mas a conversa mole das europeias ilustra com esplendor o fenómeno. Numa entrevista a uma candidata, quando se falou da Guerra na Ucrânia, o que o entrevistador queria saber era o que ela pensava sobre o serviço militar obrigatório, algo que os partidos rejeitam e os militares não querem. Impossível dizer "isso é um não-assunto, faça outra pergunta".

publicado às 19:51



Autores

João Villalobos e Luís Naves