Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Morte ao décimo dia

por Luís Naves, em 18.07.13

Tibério mandou torturar os desgraçados
Os seus crimes nem sequer ficaram registados

 

Morte após dez dias de suplício, disse o imperador
Exigindo para cada um o requinte máximo da dor

 

E ao nono dia, por acaso, Tibério desapareceu
E alguém sugeriu, que os libertem, se o cruel morreu

 

Libertá-los é mais do que justo
Já que todos sobreviveram a custo

 

E os condenados já se viam ressarcidos
Dos terríveis medos e suplícios sofridos

 

Mas afinal foi de curta dura a esperança
Um soldado trespassou-os com a lança

 

É que, para além de Tibério, existia a tirania
E a ordem era clara: morte ao décimo dia

Tags:

publicado às 19:19




Links

Locais Familiares

Alguns blogues anteriores

Boas Leituras