Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A continuar esta cegueira (2)i

por Luís Naves, em 05.05.16

Na Europa contemporânea há nacionalismos bons (o inglês ou francês), e nacionalismos maus (o polaco, por exemplo). Há votações que a Imprensa aceita como naturais e votações que a Imprensa não aceita. Os trabalhistas foram derrotados nas eleições regionais (são o terceiro partido escocês), mas a eleição do presidente da câmara de Londres foi o único ângulo das notícias (apesar de não ser o primeiro muçulmano a governar uma cidade europeia importante). Enfim, os países já não são todos iguais e a democracia tem resultados e resultados. Isto foi ensaiado na crise financeira, sobretudo na Grécia ou em Portugal, onde as consequências políticas das medidas de austeridade nunca foram um dado do problema. Nesta fase mais avançada do processo de dissolução, as consequências dos erros da chanceler Angela Merkel estão a ser transformadas em narrativas de declínio democrático. Se um país escolhe um governo com ideias 'erradas' do ponto de vista de Berlim, demonize-se esse governo, na esperança de que a votação possa ser repetida até vencer o 'bem' e o 'lado certo da História'.

Se continuar esta cegueira, o conflito entre as democracias boas e as democracias más só pode ter um resultado: a Europa do actual modelo será defunta e nascerá uma coisa nova, mais alemã e disciplinada. Isto é como no futebol: são tão bons, tão bons, que precisam de uma bola só para eles.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:44



Mais sobre mim


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Links

Alguns blogues anteriores

Locais Familiares

Boas Leituras