Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Navegações (um livro)

por Luís Naves, em 15.10.13

Para desenjoar da má política, a boa literatura. Julgo que a publicação do romance As Primeiras Coisas, de Bruno Vieira Amaral, pela Quetzal, é um acontecimento que deve ser destacado. O autor fez experiências de escrita no seu blogue, Circo da Lama, onde se pode ler um texto que expõe a motivação da obra: não se trata de um exemplo de "neo-realismo" ou "de turismo literário suburbano", escreve Vieira Amaral.
Para saberem mais sobre este romance, podem ler aqui o brilhante texto que José Rentes de Carvalho* escreveu para o lançamento, em sessão que decorreu ontem na FNAC do Chiado.
Não tendo ainda concluído a leitura, prometendo um texto posterior sobre o tema, posso dizer que o livro de Bruno Vieira Amaral tem invulgar qualidade, sobretudo sendo um primeiro romance. O texto é sincero e muito visual, irrepreensível no uso da língua portuguesa, sem pontos desinteressantes ou quebra de ritmo nas primeiras 200 páginas. Os melhores livros têm geralmente pequenas histórias dentro da história e personagens marcantes, definidas em poucas frases. É o que sucede aqui, com humor, ternura, vivências, nostalgia e dureza. Em As Primeiras Coisas, Vieira Amaral faz um retrato do País sem contemplações ou embelezamentos de postalinho e sem moralismo politicamente correcto. O leitor depara-se com páginas sobre problemas sérios, em algumas passagens de leitura difícil, não pela escrita obscura, mas pelo realismo brutal e pela crueza das situações humanas.

Neste livro não encontrei poesia balofa ou modas fofinhas. Trata-se de um texto incómodo, que vai certamente desagradar a muita gente, enquanto outros tentarão torná-lo invisível ou arrumá-lo num gueto qualquer do turismo literário suburbano.

 

*A fragata holandesa é uma homenagem a Rentes de Carvalho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:17


2 comentários

Imagem de perfil

De Bruno Vieira Amaral a 15.10.2013 às 19:37

Muito obrigado, Luís.
Imagem de perfil

De Luís Naves a 15.10.2013 às 20:03

Os leitores é que agradecem ao autor, por ter escrito um livro tão forte e sem gorduras

Comentar post



Mais sobre mim



Links

Alguns blogues anteriores

Locais Familiares

Boas Leituras